TIPOS DE VÍRUS MAIS COMUNS:

Vírus de computador são pequenos software capazes de causar grandes transtornos a indivíduos, empresas e outras instituições, afinal, podem apagar dados, capturar informações, alterar ou impedir o
funcionamento do sistema operacional, por exemplo.

Alguns tipos mais comuns:

  • Cavalos de Tróia (TROJAN)
  • Worms
  • Hijackers
  • Spywares
  • Ransomwares

RANSOMWARES:

Ransomware é um tipo de malware com uma “proposta” mais ousada: uma vez ativa, a praga pode bloquear ou limitar o acesso a arquivos, pastas, aplicativos, unidades de armazenamento inteiras ou até mesmo impedir o uso do sistema operacional. Para liberar esses recursos, o ransomware costuma mostrar mensagens exigindo pagamentos. É como se o computador tivesse sido sequestrado.
Para convencer o usuário a desembolsar o valor exigido, a mensagem pode conter ameaças ou chantagens, dizendo, por exemplo, que dados importantes serão apagados ou que imagens particulares da
pessoa serão publicadas na internet caso o pagamento não seja efetuado.

CAVALO DE TRÓIA

Cavalo de tróia (ou trojan) é um tipo de malware que possibilita uma maneira de acesso remoto ao computador após a infecção, como se fosse um bandido que invade o lugar e abre caminho para que seus comparsas apareçam, fazendo uma comparação grosseira. Esse tipo de praga pode ter outras funcionalidades, como capturar dados do usuário para transmiti-los a outra máquina.
Para conseguir ingressar no computador, o cavalo de tróia geralmente se passa por outro programa ou arquivo. O usuário pode, por exemplo, fazer um download pensando se tratar de uma ferramenta
para um determinado fim quando, na verdade, se trata de um trojan.

WORMS (VERMES)

Os worms (ou vermes, nome pouco usado) podem ser interpretados como um tipo de vírus mais inteligente que os demais. A principal diferença está na forma de propagação: os worms podem se espalhar
rapidamente para outros computadores seja pela internet, seja por meio de uma rede local de maneira automática.
Explica-se: para agir, o vírus precisa contar com o “apoio” do usuário. Isso ocorre, por exemplo, quando uma pessoa baixa um anexo contaminado de um e-mail e o executa.

HIJACKERS

Hijackers são programas ou scripts que “sequestram” navegadores de internet. As principais vítimas eram as versões mais antigas do Internet Explorer. Um hijacker pode, por exemplo, alterar a página inicial do browser e impedir o usuário de mudá-la, exibir anúncios em janelas novas, instalar barras de ferramentas e bloquear o acesso a determinados sites (páginas de empresas de anti-vírus, por exemplo). Felizmente, os navegadores atuais contam com mais recursos de segurança, limitando consideravelmente a ação desse tipo de praga digital.

SPYWARES

Spywares são programas que “espionam” as atividades dos usuários ou capturam informações sobre eles. Para contaminar um computador, os spywares geralmente são “embutidos” em software de procedência duvidosa, quase sempre oferecidos como freeware ou shareware (nomes pouco usados atualmente). Os dados capturados são posteriormente transmitidos pela internet. Essas informações
podem conter desde hábitos de navegação do usuário até senhas.

COMO SE PROTEGER?

  • Aplique as atualizações do sistema operacional e sempre use versões mais recentes dos softwares instalados nele;
  • Tome cuidado com anexos e link em e-mails, mensagens instantâneas e redes sociais, mesmo quando a mensagem vier de pessoas conhecidas;
  • Antes de baixar programas desconhecidos, busque mais informações sobre ele em mecanismos de buscas ou em sites especializados em downloads;
  • Tome cuidado com os sites que visita. É muito comum, por exemplo, a propagação de malwares em páginas de conteúdo adulto;
  • Ao instalar um antivírus, certifique-se de que este é atualizado regularmente, do contrário, o programa não será capaz de identificar novos vírus ou variações de pragas já existentes;
  • Faça uma varredura com o antivírus periodicamente no computador todo. Também utilize a ferramenta para verificar arquivos baixados;
  • Vírus também podem ser espalhar por cartões SD, pendrives e aparelhos semelhantes, portanto, sempre verifique o conteúdo dos dispositivos removíveis e, se possível, não utilize-os em computadores públicos (faculdade, escola, lan house, etc).
%d blogueiros gostam disto: